Por: Equipe NetFighter | 4 de junho de 2017

0.

*por Guilherme Cosenza

A noite do UFC 212 era para consagrar novamente o brasileiro José Aldo como campeão definitivo da categoria dos penas do Ultimate. Com o ginásio da Jeneusse Arena lotado, grandes nomes do MMA nacional entraram no octógono para fazer a torcida presente vibrar. Nomes como Vitor Belfort, Cláudia Gadelha e Antônio Cara de Sapato, estavam no card do evento.

José Aldo desolado ainda dentro do octógono após ser nocauteado. Foto: Getty Images – Zuffa LLC – UFC

Contudo, o havaiano Max Holloway jogou um banho de água fria na comemoração brasileira ao nocautear o campeão linear da categoria, José Aldo. A luta que contou com muito estudo, alguns bons golpes, mas pouca eficácia do brasileiro que logo no segundo round já se mostrava cansaço, teve fim no terceiro round com um nocaute técnico (TKO) incontestável. Porém, a noite também trouxe resultados positivos para os brasileiros: Vitor Belfort finalmente voltou as boas com a vitória e, apesar de fazer uma luta morna contra o americano Nate Marquardt, conseguiu uma vitória por decisão unânime dos juízes e anunciou:

-“Estamos reinventando o Vitor Belfort, trocando as coisas erradas e eu não estou com pressa. Ainda quero lutar mais cinco vezes”.

Outra brasileira que fez bonito e mostrou que mantém o jogo de chão muito bem apurado foi Cláudia Gadelha, que finalizou com rapidez e facilidade a adversária Karolina Kowalkiewicz aos 3 minutos do primeiro round. Paulo Borrachinha foi o segundo a subir no octógono no card principal e atropelou o americano Oluwale Bamgbose por nocaute técnico (TKO) no começo do segundo round. Já Erick Silva teve sua luta interrompida precipitadamente contra Yancy Medeiros, somando mais um revés no cartel do brasileiro.

Já no card preliminar os destaques ficaram para o estreante Deiveson Alcântara, que mostrou sua soberania com um nocaute técnico (TKO) em cima de Marco Beltrán no final do segundo round, Luan Chagas, que após duas derrotas conseguiu sua primeira vitória no UFC, e Viviane Sucuri, que conseguiu levar a melhor por decisão unânime em cima de Jaime Moyle. Antonio Cara de Sapato deu uma bela aula da arte suave e finalizou Eric Spicely com um mata-leão no segundo round.

Raphael Assunção conseguiu, entre vaias, levar a vitória por decisão dividida na luta contra o também brasileiro Marlon Moraes e comentou: “ainda tenho que ver isso, mas pela luta ser muito parelha e nós dois termos nos estudado muito, pode parecer para quem esta de fora que nós dois não queríamos lutar ali dentro”.

Quem, assim como o Aldo, viu a pior parte do combate foram Johnny Eduardo, nocauteado por Mathew Lopez no segundo round, e Iuri Marajó que foi finalizado por Brian Kelleher ainda no primeiro round.

 

Deixe seu comentário!