Por: Equipe NetFighter | 30 de janeiro de 2017

0.

Ex-UFC contesta interrupção da luta contra Jose Torres no Titan FC 43, mas terá chance de cinturão em março

Pedro Nobre disputou cinturão no último dia 21, mas acabou derrotado por nocaute técnico (Foto: Titan FC)

No último dia 21 de janeiro, Pedro Nobre disputou o cinturão dos galos do Titan FC, mas a luta não terminou como ele esperava. Após sofrer knockdown, foi punido com vários socos pelo adversário, Jose “Shorty” Torres, e o árbitro Jorge Alonso interrompeu o combate, sob protestos do brasileiro. Em entrevista ao NETFIGHTER, Nobre reclamou da interrupção, que considerou precoce.

“Tomei knockdown, não se discute. Porém, em momento algum desliguei e saí da luta, na hora fiquei perguntando por que tinha parado, já que eu estava bem, não foi aquele knockdown que te deixa mole. Na maioria das lutas em que tomei knockdown, não apago, eu volto. E naquela luta, quando fiquei por baixo, fiquei aliviado e pensei: ‘vou começar a trabalhar a guarda’. Mas aí o árbitro parou, e uma luta principal, pelo título, não pode ser interrompida daquele jeito”, protestou Pedrinho.

O carioca revela que soube do acerto de Torres com o UFC antes mesmo do duelo, mas não acredita que isso tenha influenciado no resultado. Agora, o peso galo espera outra oportunidade pelo título já na próxima luta, algo que foi prometido pelo dono do evento,  Jeff Aronson, inclusive com data definida.

“Ainda antes da luta, soube pelo dono do evento estava assinado com o UFC. Pelo menos me disseram que minha próxima luta será pelo cinturão, dia 10 de março. Só falta definir o adversário”, adiantou, completando: “Quando eu estava no aeroporto voltando para o Brasil, chegou uma mensagem do pessoal do Titan com o vídeo, e disseram: ‘é, realmente o árbitro se precipitou’. Mas já era tarde”, contou o ex-UFC.

“The Rock” então retorna à Rio Fighters, academia liderada por Miltinho Vieira no Humaitá, Rio de Janeiro, iniciando a preparação para a luta de título e para o Epic, competição de Muay Thai que acontece em abril, em São Paulo.

“Saí daquela luta com um sentimento muito ruim de impotência, mas vou dar nenhum mole. Sabemos que às vezes temos que enfrentar não só o adversário, mas também a comissão atlética e o próprio evento. Vou ter apoio da minha equipe, Rio Fighters, atletas e treinadores, em especial ao Miltinho, que esteve do meu lado do início ao fim, até na sauna para tirar o peso. Para essa luta tive apoio do Leo Biscaia, de Miami, que deu todo o suporte durante a semana da luta, dos treinadores Ricardo Oliveira e Rodrigo Presuntinho, e de muita gente, agradeço a todos e bola pra frente”, finalizou Nobre, que possui três vitórias e duas derrotas no Titan FC.

Abaixo, vídeo do final do duelo.

Deixe seu comentário!