Por: Equipe NetFighter | 24 de fevereiro de 2017

0.

Tavares pede para a árbitra Charyana Gamballe interromper o combate, após perceber que o adversário só se defendia (Foto: reprodução)

No último dia 18 de fevereiro, Thiago Tavares retornou ao MMA nacional com vitória. Após dez anos no UFC, o catarinense venceu Maurício “Bad Boy” por nocaute técnico no Aspera 49, em Balneário Camboriú, Santa Catarina. Em entrevista ao NETFIGHTER, Tavares fez um balanço da boa passagem pelo UFC e se diz feliz por voltar a lutar no Brasil, mesmo com a diferenças em relação aos eventos internacionais.

“Foi legal. Uma experiência que precisava passar para ser um atleta melhor e um ser humano melhor. Nos últimos dez anos estive lutando no UFC, fiz 18 lutas, com sete bônus de performances da noite, no maior evento do mundo. Minha última luta havia sido em Las Vegas na semana do UFC lá. Muita mídia, repercussão, eventos e exposição. Agora voltei para o MMA nacional, por mais que seja no Aspera, o maior evento nacional, a realidade é outra. Me refiro a um simples detalhe da estrutura do vestiário para aquecermos, até a valores da bolsa. Está sendo muito importante para mim, um exercício de humildade, para um recomeço”, afirmou o lutador de 32 anos.

Thiago pode lutar mais vezes por ano do que lutava no Ultimate, e garante que quer se manter ainda mais ativo. Além das lutas de MMA no Brasil e no exterior, o peso leve quer competir em outras artes.

“Comecei minha vida nas artes marciais treinando judô e jiu-jitsu, onde competia todo final de semana. Gosto muito de competir, de me manter em atividade. Atualmente estou negociando com alguns eventos na Rússia e no Japão, porém pretendo continuar lutando também nos eventos nacionais. Estou com saúde e bem treinado, pretendo fazer uma luta de MMA por mês em 2017, e também voltar a competir campeonatos de judô e jiu-jitsu”, avisou Thiago, que também se dedica a sua equipe, a Team Tavares.

“Minha equipe está ótima. Como estamos no sul do país, não temos abertura nos eventos em todo Brasil. Adoraria ter mais espaço e pôr atletas do nosso time em todo Brasil. Estou com grandes atletas aqui. Temos um ótimo time de 66kg que faz frente a qualquer equipe. Temos o Felipe Cruz com 18 vitórias – 3 derrotas, com 4 cinturões (entre eles Nitrix, áspera, fighten); tem o Marcos “Alemão” com 15 vitórias e 3 derrotas; tem o Nazareno Malegarie com 27 vitórias – 4 derrotas e irá lutar pelo cinturão do Pancrase no Japão em março; e eu”, disse o lutador e treinador, completando: “Eventos que tiverem interessados em pôr atletas de Floripa e do nosso time em seus eventos, favor entrarem em contato pelo e-mail: floripafighters@outlook.com”.

Tavares preferiu não comentar a interrupção da árbitra: “Não compete a mim avaliar a capacidade do árbitro central”.

Deixe seu comentário!