Por: Alan Oliveira | 9 de junho de 2016

0.

“Mr. Catra” do MMA? Ricardo Sattelmayer explica polêmico casamento com Aline e Bianca, e fala de sua equipe, a STT

Em abril deste ano, no Rio de Janeiro, foi oficializado o primeiro casamento poliafetivo do Estado, quando um funcionário público formalizou uma união estável com duas mulheres (conheça a história aqui). Antes, em 2012, em São Paulo, outro relacionamento da mesma natureza foi registrado. E não demorou muito para o MMA ter seu primeiro caso de “triângulo amoroso oficial”. Ricardo Sattelmayer, treinador e lutador da Sattelmayer Top Team (STT) era casado com a lutadora Aline Sattelmayer, mas já havia conversado com a esposa sobre o desejo de adicionar uma mulher à relação quando conheceu Bianca, outra lutadora da equipe que carrega o nome do treinador. Em entrevista ao NETFIGHTER, Ricardo explicou a decisão, tomada em conjunto com as esposas.

É uma cultura minha, uma decisão que tomei na minha vida. Muitos pensam que é adultério, mas nunca cometi adultério, nunca vou cometer. Não é quebra familiar, mas é uma forma de aumentar minha família, nada foi escondido uma da outra. Elas são parceiras de treino, se ajudam, Teve aluno meu que disse que colocaria um pôster meu no quarto, uns perguntam se é marketing, mas até agora não ouvi ninguém falando mal, muitos até apoiaram. Acho que muita gente que quer fazer isso e não tem coragem“, explicou Sattelmayer, que pretende realizar a cerimônia de casamento com as esposas no Havaí em outubro.

No vídeo acima, gravado na academia New Corpore Center em Irajá, Rio de Janeiro, Ricardo, Aline e Bianca falam sobre vários pontos da polêmica relação, como os aspectos legais, divisão do tempo em que cada uma das esposas passa com o marido, sobre os comentários que ouvem dos mais próximos, e tudo necessário para que o “harém” não se desfaça (nem aumente).

Agi naturalmente quando soube da intenção dele, estávamos há cinco anos juntos, e não iria proibi-lo, decidi que devíamos tentar. Me perguntam como deixei isso acontecer, mas é meu marido, era o desejo dele. Não pode demorar mais tempo beijando uma do que outra, por exemplo“, brinca Aline, que tem nove anos de relacionamento com Ricardo.

Foi surpreendente para mim, eu o ouvia falando sobre isso, mas não imaginava que eu poderia ser a segunda esposa. Não é simples entrar num relacionamento que já está formado, mas éramos amigos e foi mais fácil. Mas não aceitaríamos outra mulher no relacionamento“, avisa Bianca, nesta entrevista feita no dia em que os três lutaram no NCE 5 – POP (leia sobre o evento aqui).

*Esta matéria foi indicada ao Prêmio Osvaldo Paquetá. Para votar no prêmio CLIQUE AQUI!

Deixe seu comentário!